Afinal qual a melhor embalagem para o meu comércio?

Couromoda 2017 – Feira Internacional de Calçados, Artefatos de Couro e Acessórios de Moda
17 de novembro de 2016
GIRA Calçados 2018
20 de fevereiro de 2018

Afinal qual a melhor embalagem para o meu comércio?

Para respondermos a esta pergunta, temos que estudar as variáveis que irão determinar a embalagem certa para seu comércio.

Podemos começar analisando o padrão da sua loja, qual o público que seus produtos mais atende; porém não queremos “nivelar” o poder aquisitivo do seu cliente com uma embalagem melhor ou pior, mas sim associar um produto a uma embalagem que esteja dentro de um mesmo patamar. O que normalmente acontece é a utilização de plástico para produtos mais acessíveis e preços médios, e o papel para as lojas que comercializam produtos mais elitizados.  Mas isso não é de forma alguma uma regra geral, veremos isso mais à frente.

Aí vem a pergunta, “mas se eu vendo, na mesma loja, produtos com maior valor agregado e outros produtos mais populares, como devo proceder? ”

Nem pensar em ter que investir em diversos tipos de embalagem! Certamente seria muito desagradável e preconceituoso, utilizar uma ou outra embalagem dependendo do valor do produto adquirido. Aí que entra o padrão da sua loja, sendo analisado pelo seu ticket médio!

Decidir o quanto investir em embalagem baseado no valor do ticket médio é uma excelente decisão. Com um percentual definido, você tem um real controle sobre este custo.

Pois bem, quando tocamos no assunto “custo”, o foco aumenta, então vamos aproveitar para lembrar que as sacolas não podem ser vistas apenas como uma despesa com embalagens, mas sim de propaganda, de fixação da marca. Se compararmos o custo de propaganda por pessoa, que a sua sacola alcança enquanto desfila por aí, mesmo considerando um baixíssimo número de pessoas que viram sua marca, certamente encontrará um custo melhor do que outras formas, tais como jornal, outdoor, revista, rádio, entre outras, ou seja, está entre os menores custos de propaganda que existem no mercado.

Seria então, no momento de crise econômica, procurar reduzir o custo das sacolas e com isso diminuir a visão da sua marca? Não! Agora, mais ainda, você tem que mostrar que está vendendo, e quanto mais sacolas estiverem sendo vistas, melhor!

Estamos mantendo o foco nas embalagens que não são descartadas logo após seu primeiro uso, que além de firmarem a propaganda, trazem seu apelo ecológico alcançado, a reutilização, que tem a sua demasiada importância.

Então qual sacola tem mais visualização?

As sacolas de papel sempre trazem maior “status”, de certa forma valorizam o produto, pois na maioria das vezes estão associadas a boutiques de shopping ou de rua, onde se encarregam de embalar produtos de maior valor comercial. Sua resistência perde para as de plástico, além de serem sensíveis a umidade e tempo chuvoso. As fabricadas em plástico têm seu apelo visual mais simples, talvez possamos dizer mais “popular”, porém quando fabricadas com o objetivo de reutilização, onde a espessura é mais elevada e o modelo colabora, elas cumprem bem esta missão, pois o descarte não acontece tão cedo.

“Muitas sacolas circulando, sinal de muitas vendas!!   Será?”

O importante é que as embalagens sejam bonitas e agradáveis de serem reutilizadas. Quando sacolas que saíram de determinada loja, em datas diferentes, se encontram pelas ruas, tem-se a impressão de que aquela loja está vendendo muito naquele determinado momento, pois ninguém vai ficar fazendo conta de que aquelas embalagens estão sendo reutilizadas, e que foram recebidas há dias, semanas ou meses atrás.

Alguns modelos e acabamentos de sacolas são desenvolvidos com o objetivo de serem reutilizadas. Bem ao contrário das sacolas de supermercados, as quais, na maior parte das vezes, são utilizadas apenas uma vez, servindo posteriormente para acondicionamento de lixo.

A eterna procura do bom, bonito e barato….

Hoje, em se tratando de plástico, as sacolas de alça fita, estão na liderança das embalagens de melhor custo/benefício, por serem muito bem reutilizadas, além de terem um custo que é próximo dos modelos tradicionais, e em alguns casos até melhor. O segredo deste sucesso é simples, este modelo, mesmo com alça, tem a sua fabricação totalmente automatizada, sem manuseio, gerando menor custo de fabricação.

Não é à toa que elas são vendidas nos caixas de hipermercados, com o titulo de “sacola retornável”, elas realmente são retornáveis.

No papel, as sacolas feitas em máquinas automáticas, têm ótimo preço, são trabalhadas com baixas gramaturas, mas o suficiente para se produzir uma bela e funcional embalagem. Já as sacolas mais grossas, são dobradas e coladas manualmente, trazendo com isso mais custo de papel e mão de obra. Estes modelos escapam um pouco do “ecologicamente correto”, devido à quantidade de material gasto para o mesmo fim de uma sacola mais fina, mais leve. Agrava-se ainda quando o papel é plastificado, pois a soma do papel, plástico e a cola a torna não reciclável, ou seja, lixo. Colabore, nunca jogue uma sacola plastificada no lixo dos recicláveis.

Uma outra boa alternativa para sacolas de papel são as desenvolvidas para presente.

Para que não se pareçam com as sacolas do dia a dia, elas trazem um acabamento de alça diferente, e furos opcionais para colocação de fitas ou laços. Sua missão é atender a velha procura por uma embalagem de presente, que elimine a utilização de uma sacola para ser acondicionada, evitando assim a soma de dois custos.

As sacolas de TNT são bastante reutilizadas, tem bom custo quando sua fabricação conta com a solda eletrônica, que substitui a costura tipo overloque, além de dar um lindo acabamento.  Seus custos são intermediários, ficam mais próximos das sacolas de papel do que das de plástico.

À utilização do nylon e do algodão, que possuem excepcional resistência, se traduzem em uma sacola para longa utilização. Seu custo não permite ser a embalagem do dia a dia. Sua presença é mais observada em datas especiais, como brinde, presente ou como premiação a ser conquistada quando atingido certo valor de compra.

Preço x Quantidade…. Chega disso!!!

Temos também que atualizar a visão de alguns lojistas a respeito da compra de embalagens. É preciso deixar aquela velha e ultrapassada ideia de que comprando sacolas para um ano, ou um semestre que seja, ele irá ganhar em preço. Pelo contrário, estará empatando capital e espaço da sua loja ou do seu estoque. O espaço tem que ser aproveitado para o seu negócio, não para guardar sacolas! Se a maioria das despesas são mensais, tais como folha de pagamento, comissões, aluguel, luz, contador e outros mais, porque a sacolas também não podem ser? Basta que você tenha um fornecedor atualizado, com quem você possa formar uma boa parceria, que saiba avaliar o seu consumo, e com estas informações fazer um bom preço pelo montante anual que a loja consome. Pronto, preço bom e entrega parcelada, conforme seu consumo, nada de ocupar espaço e pagar antecipado à utilização.