COUROMODA 2015

Começa nesse domingo 11/01 a feira mais importante da América Latina em Calçados e Artefatos em Couro.
A COUROMODA que já está em sua 42º edição, apresenta novidades de mais de 2.000 marcas de calçados, acessórios e artigos de moda, além tendências e inspirações para coleção Primavera/Verão 2015.
O grupo Sacolas.com.br – Lukaflex e Companhia das Embalagens estará expondo suas variedades de modelos e materiais em embalagens, não deixe de visitar nosso Stand.

Aguardamos por você.

Feira Francal – Agradecimentos

Agradecemos à visita de nossos clientes, amigos e parceiros em nosso stand durante o último evento que realizamos em São Paulo, na 46º Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios.
Ficamos muito felizes em mais uma vez estarmos mais próximos, prestando a melhor consultoria em Sacolas Plásticas, Papel, TNT, Nylon e Algodão.

Toda Equipe da Lukaflex e Cia da Embalagens te espera para nossa próxima feira Couromoda, à realizar de 11 à 14/ Janeiro/2015, no Expo Center Norte.

Bom exemplo Sustentável

O debate sobre as sacolas plásticas é longo, promissor e indispensável

As sacolas plásticas nunca estiveram em tal evidência como agora.
Recentemente, alguns legislativos e executivos tentaram extingui-las, em nosso entendimento de forma prematura, dos supermercados.
Trata-se de um debate longo, promissor e indispensável, mas que está apenas começando.

Onde este debate ocorre, fica claro que as sacolas não são ‘’vilãs’’ do meio ambiente.

O Paraná, por exemplo, estabeleceu, há cerca de quatro anos, que o varejo distribuísse aos consumidores exclusivamente sacolas de material oxi-biodegradável, à época apontada como a solução.

Atualmente, pesquisas comprovam que este material é mais prejudicial ao ecossistema do que as sacolas tradicionais, devido à ação química da substância adicionada ao plástico para acelerar sua decomposição.

Entendemos, pelo estágio inicial do debate no Brasil, que as tentativas de adoção de medidas extremas de banir as sacolas por alguns estados podem se revelar uma repetição deste equívoco , e não podemos manter os consumidores na iminência de pagar esta conta. E ainda prejudicar o meio ambiente.

Os supermercados gaúchos gastam R$ 190 milhões por ano com a aquisição de 1,5 bilhão de sacola plásticas. O varejo seria, portanto, o maior beneficiado com a proibição da distribuição deste material. A melhor solução, no entanto, será aquela que favorecer a todos os segmentos da nossa sociedade. Se as sacolas plásticas forem proibidas nos supermercados, cada família gaúcha será onerada, em média, em R$ 15 mensais com a compra de embalagens para destinar seu lixo.

Isto é: atualmente, se abolirmos as sacolas de plástico dos supermercados, estaremos na prática, apenas trocando a cor dos nossos sacos de lixo, de branco para azul ou preto.

Além disso, não há alternativas consistentes para substituir as sacolas plásticas. Econômicas, duráveis, resistentes, práticas, higiênicas e inertes, são reutilizáveis e 100% recicláveis.

As sacolas plásticas tradicionais não poluem quimicamente o solo. Elas possuem o mesmo poder calorífico do diesel e não aproveitar este potencial é desperdiçar energia. E é exatamente neste ponto que entra a participação do poder público: entendemos que é papel do governo, acima de qualquer outra esfera da sociedade, criar soluções para este problema. Mais que ampliar a coleta seletiva a toda população, é imperativo, também, que se incentivem as cooperativas de catadores e criem-se usinas de reciclagem.

Se aplicássemos aos sacos plásticos a mesma destinação das latinhas de bebidas, por exemplo, o problema estaria resolvido.

O Brasil recicla 22% dos plásticos. Estudos mostram que 65% das sacolas plásticas saem dos caixas sem ter sua capacidade total utilizada. A solução pode começar, portanto, pelas nossas casas.

Fonte: http://www.plastivida.org.br/2009/SalaImprensa_Artigos.aspx

Reciclagem

Promover a reciclagem e dar vida nova a materiais plásticos que acabariam em lixões ou aterros sanitários não é apenas uma atitude ecologicamente correta, é uma atitude de visão.

A reciclagem de materiais descartados compreende basicamente as seguintes etapas:

Coleta e Separação

Triagem por tipos de materiais (papel, metal, plásticos, madeiras, etc.).

Revalorização

Etapa intermediária que prepara os materiais separados para serem transformados em novos produtos.

Transformação

Processamento dos materiais para geração de novos produtos a partir dos materiais revalorizados.

Para garantir a sustentação econômica da reciclagem, deve-se levar em consideração:

Conheça mais sobre Papel Kraft

Papel Kraft é um tipo de papel produzido a partir de uma mistura de fibras de celulose curtas e longas, provenientes de polpas de madeiras macias. Esta mescla de fibras confere a este tipo de papel características de resistência mecânica com muito bom desempenho para a sua utilização em máquinas e uma boa maciez.

Estas características e capacidades de processamento permitem que seja utilizado para produzir sacos e sacolas.

Sua aparência de material rustico e pouco industrializado, transfere sua intenção de colaborar com a sustentabilidade. Além de fonte renovável, e utilização de 100% de material reciclável.

Vantagens de Uso do Plástico

Você já imaginou o que seria do mundo sem os plásticos?

Os plásticos não são tóxicos e sim inertes. Justamente por esta qualidade, são amplamente utilizados para embalar alimentos, bebidas e medicamentos. E protegem a saúde, em aplicações como seringas, bolsas para transfusão de sangue e frascos para soro fisiológico. Por sua atoxidade, não contaminam o lençol freático, os rios e os oceanos.

Há casos em que os plásticos são os únicos materiais adequados para um determinado fim, que conseguem dar resposta. Isso porque eles reúnem um número de propriedades dificilmente encontradas em outros materiais: são ótimos isolantes térmico-acústicos, maus condutores de eletricidade, resistentes ao calor, quimicamente inertes, leves, resistentes e flexíveis, além de representarem excelente relação custo/benefício.

A embalagem plástica protege os produtos, garante a segurança alimentar, evita contaminação, transmissão de doenças, proliferação de insetos e roedores. Ao impedir a perda do produto, evita o desperdício de tudo o que a sociedade e o meio ambiente investiram para produzi-lo: energia, recursos naturais, trabalho etc. Apesar de um uso tão amplo, apenas 4% do petróleo extraído são destinados à produção de plásticos.

Outra grande vantagem dos plásticos é sua leveza, proporcionando grande economia no transporte das mercadorias. As embalagens de plástico descartadas reduzem o peso dos resíduos, diminuem o custo de coleta e destinação final e não apresentam riscos de manuseio.

Finalmente, uma das maiores vantagens dos plásticos é que eles são 100% recicláveis. Para se beneficiar amplamente desta vantagem, a sociedade deve estimular a deposição correta das embalagens após o uso e aumentar o alcance da coleta seletiva.